Do céu

Aquele escrevo não escrevo que nem eu percebo. Com o peito cheio de sentimentos e momentos. Com a pele em carne viva a sentir a brisa, o cair da noite, as gotas de água. Sentir. Com o olhar e ver. Ver. Sem palavras para descrever o quanto a mente se abre quando paramos para não…

Por Madalena Palma 1 de Setembro, 2021 Não

Lixo na Mente

Temos a cabeça cheia de lixo e é também por isso que as pessoas me cansam. Há dias que nem as posso nem ver. No cérebro, o lixo é ruído. Ou seja, não permite que se escute e interiorize o que está, tantas vezes, de forma clara à nossa frente. Por isso, em tantos momentos,…

Por Madalena Palma 20 de Agosto, 2021 Não

Da vida

As pessoas são seres estranhos. Deslocam-se e habitam em casulos que deveriam ser venerados mas são sempre tão mal tratados. As pessoas são seres de práticas estranhas. Têm hábitos nocivos com o perfeito conhecimento de que estão a autodestruir-se. Fazem-no também com o planeta sabendo que não é renovável. Somos pessoas estranhas e tantas vezes…

Por Madalena Palma 26 de Julho, 2021 Não

Nao vir aqui…

…nem sempre é mau sinal. São sempre fatores diferentes. Nao há uma narrativa de ausência ou presença. Posso vir só desempoeirar os cantos e abrir as janelas. Tantas vezes apenas para entrar o ar. Como acontece hoje. Apenas entrar o ar.

Por Madalena Palma 12 de Julho, 2021 Não

Das marcas

“Faças o que fizeres nunca agradarás a todos.” A minha mãe disse-me esta frase infinitas vezes. Ao longo da vida passaram por mim várias pessoas que em determinada altura eram o melhor que a vida tinha e hoje nem me lembro o que nos unia. Falo de amigos de infância, de adolescência, e por aí…

Por Madalena Palma 14 de Junho, 2021 Não

Do dia de hoje

Falta-me o ramo de flores que a minha mãe sempre me oferecia desde que fui mãe. Falta a procura das flores amarelas para lhe oferecer. Hoje roubei uma rosa amarela lindíssima que teimosa olhava para mim há dias. Deixei-lha na campa onde, em pranto desesperei para lhe dizer que sinto a sua falta todos os…

Por Madalena Palma 2 de Maio, 2021 Não

Soslaio

Escreveria um poema Onde a palavra soslaio Surgiria tímida Num vértice de uma história Ou no canto de uma frase Assim Do nada Simples e esguia Como o encolher de ombros Ou o fechar os olhos Quando o vento vem mais forte Gestos simples que, De soslaio chegam e vão Que quase não deixam marcas…

Por Madalena Palma 12 de Abril, 2021 Não

Da escrita

Tenho escrito tanto. Mas fica na mente e quase que chega às pontas dos dedos e depois vai-se. O tempo assume um espaço numa espécie de buraco onde se acumulam coisas. Umas atrás das outras até que os dias deixam de ter horas e passam a ter fases ou momentos e nos apercebemos que já…

Por Madalena Palma 6 de Abril, 2021 Não